Governo dos EUA deve reclassificar maconha como substância de menor risco

EMAIL

ARQUIVO

O governo Biden tomará medidas nesta terça-feira (30) para reclassificar a maconha como uma substância de menor risco, disse uma pessoa familiarizada com os planos à CNN, um movimento histórico que reconhece os benefícios médicos da droga há muito criminalizada e traz amplas implicações para a pesquisa relacionada à cannabis e para a indústria em geral.

Espera-se que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos recomende que a maconha seja reclassificada como substância controlada da Tabela III, uma classificação que inclui medicamentos prescritos como a cetamina e o Tylenol com codeína.

O Departamento de Justiça se recusou a comentar.

A mudança histórica ocorre no momento em que Biden concorre à reeleição e busca reforçar o apoio dos eleitores mais jovens.

A recomendação esperada será analisada pelo Escritório de Gestão e Orçamento da Casa Branca e passará por um período de comentários públicos. O reescalonamento também estaria potencialmente sujeito à aprovação do Congresso.

Durante mais de 50 anos, a maconha foi categorizada como uma substância da Tabela I – drogas como heroína, sais de banho e ecstasy que são consideradas como não tendo uso médico aceito e com um elevado potencial de abuso – e sujeita às mais estritas restrições.

A recomendação esperada surge após o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos EUA, na sequência de uma revisão minuciosa da Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos EUA sob a orientação do presidente Joe Biden, que em 2022 enviou uma carta ao Departamento de Justiça apoiando a reclassificação para a Tabela III.

Embora a maconha tenha uma “alta prevalência de uso não médico” nos EUA, não parece provocar resultados graves, em comparação com drogas como a heroína, a oxicodona e a cocaína, disseram os investigadores.

Vinte e quatro estados, dois territórios e Washington DC legalizaram a cannabis para uso recreativo adulto, e 38 estados permitem o uso médico de produtos de cannabis, de acordo com dados da Conferência Nacional de Legislaturas Estaduais.

Tirar a maconha da Tabela I poderia abrir mais caminhos para pesquisa, aliviar algumas das consequências criminais mais severamente punitivas, permitir que as empresas de cannabis realizassem transações bancárias de forma mais livre e aberta e resultar em empresas que não estivessem mais sujeitas a um código tributário de 40 anos que proíbe créditos e deduções de receitas geradas pelas vendas de substâncias das Listas I e II.

Em outubro de 2022, Biden pediu ao secretário do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, Xavier Becerra, e ao procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, que iniciassem o processo administrativo de revisão de como a maconha é programada de acordo com a lei federal.

A Lei de Melhoria da Agricultura de 2018, mais conhecida como Farm Bill, definiu e descontrolou o cânhamo e o canabidiol derivado do cânhamo e os removeu da definição de maconha – e do controle regulatório – sob a Lei de Substâncias Controladas.

Por CNN

Twitter
Facebook
Pinterest
WhatsApp

Sobre Portal Seridó 360

A revista eletrônica Seridó 360 foi criado no inicio do ano de 2018, pelo estudante de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, das Faculdades Integradas de Patos/PB, Iasllan Araújo, com o intuito de levar às notícias do Seridó Potiguar a uma única revista – esta.

E-MAIL

ARQUIVO

contato.serido360@gmail.com

WHATSAPP

ARQUIVO

ARQUIVO

ARQUIVO

Arquivos

ANÚNCIO

ARQUIVO

TAGS

ARQUIVO

Scroll to Top