Tentar transar durante a noite e não lembrar depois: O perigo do sonambulismo sexual

EMAIL

ARQUIVO

Um homem de 38 anos repetidamente tenta forçar sua esposa a ter relações sexuais no meio da noite, mas não tem memória de suas ações ao acordar.

Uma mulher casada, na casa dos 20 anos, frequentemente rasga suas roupas e se masturba, mas não se lembra de nada quando seu parceiro a desperta.

Por uma dúzia de anos, um homem de 31 anos se masturba enquanto dorme, às vezes se machucando na virilha. Constrangido por seu comportamento inconsciente, ele evita relacionamentos por oito anos.

Estes são todos casos clinicamente documentados de sexsônia, ou sonambulismo sexual, parte de uma família de distúrbios do sono chamada de parassonias, que incluem sonambulismo, falar durante o sono, comer durante o sono e terrores noturnos.

Embora possa parecer que as pessoas estão agindo em seus sonhos, muitas parassonias ocorrem quando o cérebro não está em estado de sonho, disse Carlos Schenck, professor e psiquiatra sênior do Centro Médico do Condado de Hennepin na Universidade de Minnesota.

“Esses são distúrbios de despertar”, disse Schenck, que estuda parassonias há décadas. “Eles ocorrem mais frequentemente durante a fase mais lenta e profunda do sono, chamada sono delta. É como se um alarme ou gatilho fosse acionado no sistema nervoso central, e você fosse do porão ao telhado num piscar de olhos.

“Sua cognição está profundamente adormecida, e você não está no programa, mas seu corpo está ativado”, disse Schenck. “Isso é perigoso porque então você começa a andar e correr e fazer todo tipo de coisa sem que sua mente esteja acordada.”

É difícil estudar a sexsônia, porque a menos que as pessoas se machuquem, muitas não têm ideia de sua atividade sexual inconsciente até que um parceiro de cama lhes conte sobre isso.

Um estudo de 2010 questionou mil adultos selecionados aleatoriamente na Noruega e descobriu que cerca de 7% haviam experimentado sexsônia pelo menos uma vez em suas vidas, enquanto quase 3% estavam atualmente vivendo com a condição.

“Há algumas pessoas que se envolverão em atividade sexual com seu parceiro, e isso não incomoda nenhum dos dois. Então, é possível que isso possa ser consensual para alguns”, disse Jennifer Mundt, professora assistente de medicina do sono, psiquiatria e ciências comportamentais na Escola de Medicina Feinberg da Universidade Northwestern, em Chicago.

Twitter
Facebook
Pinterest
WhatsApp

Sobre Portal Seridó 360

A revista eletrônica Seridó 360 foi criado no inicio do ano de 2018, pelo estudante de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, das Faculdades Integradas de Patos/PB, Iasllan Araújo, com o intuito de levar às notícias do Seridó Potiguar a uma única revista – esta.

E-MAIL

ARQUIVO

contato.serido360@gmail.com

WHATSAPP

ARQUIVO

ARQUIVO

ARQUIVO

Arquivos

ANÚNCIO

ARQUIVO

TAGS

ARQUIVO

Scroll to Top