RN tem 31 municípios com riscos de desastres como deslizamentos de terra e inundações

EMAIL

ARQUIVO

No Brasil, 1.942 municípios de todas as regiões estão sujeitos a desastres associados a deslizamentos de terras, alagamentos, enxurradas e inundações, de acordo com um estudo feito pela Secretaria Especial de Articulação e Monitoramento, do Governo Federal. No Rio Grande do Norte, são 31 municípios que correm os riscos de tragédias ambientais, entre eles Natal, Parnamirim, Mossoró e São Gonçalo do Amarante.

Os municípios potiguares que têm riscos de enxurradas e inundações são:

  1. Carnaubais
  2. Ceará-Mirim
  3. Felipe Guerra
  4. Goianinha
  5. Ipanguaçu
  6. Jandaíra
  7. Jardim de Piranhas
  8. João Câmara
  9. Jucurutu
  10. Luís Gomes
  11. Macaíba
  12. Macau
  13. Nísia Floresta
  14. Nova Cruz
  15. Patu
  16. Pendências
  17. Porto do Mangue
  18. Santa Maria
  19. São Gonçalo do Amarante
  20. Touros, Várzea
  21. Venha-Ver

Já as cidades de Mossoró, Natal, Parnamirim e Tibau do Sul correm risco de deslizamento, além de ocorrências como enxurradas e inundações.

O meteorologista da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn) Gilmar Bistrot explicou ao AGORA RN que o principal fator que define o acontecimento de desastres climáticos e ambientais são as chuvas, ainda que as condições sejam provocadas por ação humana.

Bistrot informou, ainda, que fenômenos que ocorrem nos oceanos influenciam na intensidade de chuvas, as quais interferem diretamente nos episódios de desastres ambientais.

Quando se trata do RN, a gente tem períodos específicos e determinados de chuvas. As chuvas mais intensas com potencial de inundação de desastres ambientais [são influenciadas] pela condição dos oceanos, quando se tem El Niño no Oceano Pacífico diminui a condição de chuvas aqui no Nordeste porque é uma mudança na circulação dos ventos e favorece a condições de chuvas mais para região sul, central do país, da América do Sul. Quando se tem a La Niña, que são águas mais frias, tem uma circulação mais acentuada sobre o Nordeste com um transporte maior de umidade e a atuação dos sistemas com mais intensidade, podendo assim até condições de chuvas acima do normal”, afirmou o meteorologista.

Segundo Bistrot, em 2024 ocorreu uma situação diferente dos anos anteriores, especialmente com a ação do fenômeno El Niño no Oceano Pacífico, que indicou uma seca no Nordeste entre fevereiro e maio. “Aconteceu o contrário, nós tivemos chuvas acima do normal”, explicou e citou, ainda, sobre o aquecimento do Oceano Atlântico como um outro comportamento anormal que pode ser fator para a situação climática diferente observada no Rio Grande do Norte.

Por Agora RN

Twitter
Facebook
Pinterest
WhatsApp

Sobre Portal Seridó 360

A revista eletrônica Seridó 360 foi criado no inicio do ano de 2018, pelo estudante de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, das Faculdades Integradas de Patos/PB, Iasllan Araújo, com o intuito de levar às notícias do Seridó Potiguar a uma única revista – esta.

E-MAIL

ARQUIVO

contato.serido360@gmail.com

WHATSAPP

ARQUIVO

ARQUIVO

ARQUIVO

Arquivos

ANÚNCIO

ARQUIVO

TAGS

ARQUIVO

Scroll to Top