Pesquisadores concluem que vacinas contra a Covid podem ter ajudado a aumentar o número de mortes em excesso

EMAIL

ARQUIVO

A informação é da jornalista Sarah Knapton, editora de Ciência do jornal britânico The Daily Telegraph.

Informa que pesquisadores da Holanda “analisaram dados de 47 países ocidentais e descobriram que houve mais de três milhões de mortes em excesso desde 2020, com a tendência continuando apesar do lançamento de vacinas e medidas de contenção”.

Os pesquisadores “alertaram que os efeitos colaterais ligados à vacina contra a Covid incluíram acidente vascular cerebral isquêmico, síndrome coronariana aguda e hemorragia cerebral, doenças cardiovasculares, coagulação, hemorragias, eventos gastrointestinais e coagulação sanguínea”.

Informa também sobre o alerta de Gordon Wishart, diretor médico da Check4Cancer e professor visitante de cirurgia oncológica da Universidade Anglia Ruskin, que disse repetidamente que o atraso no diagnóstico do câncer levaria a mortes.

No estudo dos holandeses, os cientistas destacam que os números “sem precedentes” “levantaram sérias preocupações” e pediram aos governos que investigassem completamente as causas subjacentes, incluindo possíveis danos às vacinas.

No estudo, publicado no BMJ Public Health, os autores da Vrije Universiteit, em Amsterdã, disseram: “Embora as vacinas contra a Covid-19 tenham sido fornecidas para proteger os civis de sofrerem morbidade e mortalidade pelo vírus da Covid-19, suspeitas de eventos adversos também foram documentadas”.

Acrescentaram: “Tanto profissionais médicos quanto cidadãos relataram lesões graves e mortes após a vacinação em vários bancos de dados oficiais no mundo ocidental”.

Mais: “Durante a pandemia, os políticos e a mídia enfatizaram diariamente que cada morte por Covid-19 era importante e que cada vida merecia proteção por meio de medidas de contenção e vacinas contra a Covid-19. No rescaldo da pandemia, o mesmo moral deve ser aplicado”.

De acordo com a editora, o estudo constatou que, na Europa, nos EUA e na Austrália, houve mais de um milhão de mortes em excesso em 2020, no auge da pandemia, mas também 1,2 milhão em 2021 e 800.000 em 2022, após a implementação das medidas.

A jornalista também descrever sobre pesquisa de cientistas alemães que indica que “o começo do excesso de mortalidade no início de 2021 no país coincidiu com o lançamento das vacinas, o que, segundo a equipe, “justificou uma investigação mais aprofundada””.

Atenta que “no entanto, dados mais recentes sobre os efeitos colaterais não foram disponibilizados ao público, com os países mantendo seus próprios bancos de dados individuais de danos, que dependem da autorrelatação do público e dos médicos, alertaram os especialista.

Detalha:

– Os pesquisadores disseram que era “provável” que o impacto das medidas de contenção, a restrição do atendimento à saúde e a agitação socioeconômica durante a pandemia tivessem contribuído para as mortes, embora tenham aceitado que isso era difícil de provar.

Gordon Wishart, diretor médico da Check4Cancer e professor visitante de cirurgia oncológica da Universidade Anglia Ruskin, alertou repetidamente que o atraso no diagnóstico do câncer levaria a mortes.

“Previa-se, no início do período de confinamento, que o acesso limitado à assistência médica para doenças não relacionadas à Covid-19 levaria a atrasos no diagnóstico e no tratamento de doenças cruciais, como câncer, doenças cardíacas, diabetes e demência, e que isso levaria a um excesso de mortes por essas doenças”, disse ele.

Os dados do NHS England mostram que, por 100.000 pessoas, a incidência de câncer foi de 521 no ano anterior ao confinamento, depois caiu para 456 em 2020/2021, sugerindo que cerca de 45.000 cânceres não foram detectados no primeiro ano da pandemia.

A taxa de incidência aumentou para 540 por 100.000 no ano seguinte, sugerindo que muitos cânceres foram diagnosticados tardiamente, quando o tratamento seria menos eficaz.

Falando sobre o potencial de dano da vacina, Wishart acrescentou: “Os autores estão corretos ao apontar que muitos eventos adversos graves relacionados à vacina podem não ter sido relatados e apontam para o fato de que o início simultâneo do excesso de mortalidade e da vacinação contra a Covid na Alemanha é digno de uma investigação mais aprofundada por si só.

“O artigo fornece mais perguntas do que respostas, mas é difícil discordar da conclusão de que é necessária uma análise mais aprofundada para entender as causas subjacentes do excesso de mortalidade, a fim de se preparar melhor para o futuro gerenciamento de crises pandêmicas.”

Por BZ Notícias

Twitter
Facebook
Pinterest
WhatsApp

Sobre Portal Seridó 360

A revista eletrônica Seridó 360 foi criado no inicio do ano de 2018, pelo estudante de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, das Faculdades Integradas de Patos/PB, Iasllan Araújo, com o intuito de levar às notícias do Seridó Potiguar a uma única revista – esta.

E-MAIL

ARQUIVO

contato.serido360@gmail.com

WHATSAPP

ARQUIVO

ARQUIVO

ARQUIVO

Arquivos

ANÚNCIO

ARQUIVO

TAGS

ARQUIVO

Scroll to Top