De Israel a saidinhas: como Tarcísio pavimenta candidatura ao Planalto

EMAIL

ARQUIVO

Considerado o principal nome do bolsonarismo para a disputa presidencial em 2026 após o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) ser declarado inelegível, o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) tem investido, cada vez mais, em pautas de repercussão nacional que reforçam seu contraponto ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato natural à reeleição ao Planalto daqui a dois anos.

A estratégia ficou evidente na última semana, com a viagem de Tarcísio a Israel em meio à crise diplomática entre o governo Lula e o do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, instaurada depois que o presidente brasileiro comparou a ação militar de Israel na Faixa de Gaza, que tem matado mulheres e crianças palestinas, ao Holocausto, massacre promovido pelo exército nazista de Adolf Hitler contra os judeus na Segunda Guerra Mundial.

Tarcísio se encontrou com Netanyahu em Jerusalém, junto com o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (União), também de oposição ao governo Lula, e fez questão de enfatizar nas redes sociais a preocupação com os reféns israelenses que seguem nas mãos do grupo terrorista Hamas, enquanto o presidente brasileiro tem condenado os ataques de Israel e ressaltado as vítimas do lado palestino.

Aliados de Lula creditam às declarações dele sobre o conflito em Gaza parte da queda de popularidade do presidente apontada pelas últimas pesquisas. Tarcísio, por sua vez, tem visto sua aprovação crescer em São Paulo nos últimos meses. Auxiliares do governador acreditam que o desempenho está atrelado à política mais “linha dura” na segurança, como a operação da Polícia Militar (PM) que já deixou mais de 50 mortos na Baixada Santista.

“Vitória” contra as saidinhas

A política de segurança pública é, de longe, a que mais escancara as diferenças ideológicas entre os governos Lula e Tarcísio. Na última quarta-feira (20/3), enquanto ainda estava em Israel, Tarcísio celebrou como “vitória” a aprovação na Câmara dos Deputados do projeto de lei que restringe significativamente as saídas temporárias de presos, as chamadas saidinhas. A proposta era uma bandeira bolsonarista e constatada por grupos de esquerda.

“O Brasil comemora a aprovação por unanimidade na Câmara dos Deputados do projeto de lei que dá fim à saída temporária de presos da cadeia, um passo fundamental para mitigar a reincidência e acabar com a impunidade”, escreveu Tarcísio nas redes sociais.

Enquanto o PL das Saidinhas impõe um dilema ao presidente Lula, a quem cabe sancionar ou vetar a lei, em um momento de desgaste na segurança pública provocado pela fuga de dois detentos da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) — a dupla segue foragida há mais de um mês —, Tarcísio fez questão de destacar o “brilhante trabalho” de seu secretário da Segurança, Guilherme Derrite, na aprovação do projeto.

Reeleito deputado federal em 2022 pelo PL de Bolsonaro, Derrite se afastou do cargo de secretário no início do mês para retomar o mandato na Câmara e ser o relator do projeto contra as saidinhas de presos. Como titular da Secretaria da Segurança Pública, ele é o responsável pela operação no litoral paulista que tem sido contestada por entidades de direitos humanos e partidos de esquerda, diante do elevado número de mortes e indícios de abusos.

A mesma ação policial na Baixada Santista tem aclamada pelos bolsonaristas e é apontada como um dos motivos do aumento da aprovação ao governo Tarcísio. Nos bastidores, aliados afirmam que Derrite se tornou um nome forte do bolsonarismo para a sucessão em São Paulo em 2026, no cenário em que Tarcísio disputaria a eleição presidencial com o apoio de Jair Bolsonaro.

As apostas sobre eventual candidatura de Tarcísio ao Planalto cresceram depois que o ex-presidente convidou o governador para se filiar ao PL neste ano. Os bolsonaristas acreditam que, com uma boa avaliação em São Paulo, a máquina paulista nas mãos e a bênção de Bolsonaro, Tarcísio é quem reúne as melhores condições para tentar derrotar Lula em 2026.

Por ora, o governador tem dito que permanecerá no Republicanos, “focado” na gestão estadual, e que 2026 ainda está muito distante. Na prática, contudo, Tarcísio tem tirado proveito das polêmicas que desgastam o governo petista e explorado temas nacionais que ajudam a pavimentar seu nome como o anti-Lula de 2026, no cenário com Bolsonaro fora do páreo.

Por Metrópoles

Twitter
Facebook
Pinterest
WhatsApp

Sobre Portal Seridó 360

A revista eletrônica Seridó 360 foi criado no inicio do ano de 2018, pelo estudante de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo, das Faculdades Integradas de Patos/PB, Iasllan Araújo, com o intuito de levar às notícias do Seridó Potiguar a uma única revista – esta.

E-MAIL

ARQUIVO

contato.serido360@gmail.com

WHATSAPP

ARQUIVO

ARQUIVO

ARQUIVO

Arquivos

ANÚNCIO

ARQUIVO

TAGS

ARQUIVO

Scroll to Top